Blog surf news

ENTENDENDO AS PREVISÕES DE ONDA

MANUAL DO SURFISTA: ENTENDENDO AS PREVISÕES DE ONDA

Como saber se o mar está bom para peixe? Ou melhor ainda, para o surf?

Com a onda tecnológica indo de vento em popa, estão surgindo novos meios de saber qual é a praia ideal para ir praticar o esporte, de acordo com a modalidade que você escolher.

Além dos websites com previsões de onda, apareceram também os aplicativos com a mesma função; ideais para quando você está longe de um laptop ou computador. Mas mesmo com os APPs, é necessário saber interpretar as informações que eles te passam.

Por exemplo: você tem que saber a intensidade e direção dos ventos e o período da ondulação para saber quantos dias vai durar o swell. Os mapas de previsão mostram tudo isso, mas é preciso prática para interpretá-los. Eles mostram a direção, o tamanho da ondulação e a que distância ela está da costa.

Uma coisa que faz toda diferença é saber que tipo de ondulação e de vento são bons para as praias que você freqüenta. No Brasil, a maioria das praias possui fundo de areia, poucos picos têm fundo de pedra ou coral, então é preciso saber se o fundo da areia está bom, pois isso costuma mudar com freqüencia. Mas saber a direção da ondulação e o vento é fundamental para garantir uma boa sessão de surf.

Claro que ler os mapas e entendê-los é necessário muita experiência no assunto, mas dá para aprender.

Aplicativos gratuitos

Waves App
Aplicativo oficial do portal Waves, com todo o conteúdo do site. Além de oferecer acesso rápido e interativo ao conteúdo, o aplicativo permite o compartilhamento de informações sobre a condição do mar de onde a galera estiver. Basta conectar-se aos seus amigos e registrar o histórico do seu dia-a-dia nas ondas. É uma espécie de rede social para surfistas.

Surf Report
O Surf Report é um aplicativo patrocinado pela Oakley que permite ao usuário verificar como estão as ondas em diversas praias do mundo, assistir a vídeos, ler as últimas notícias sobre o esporte e saber onde os atletas da marca gostam de navegar, por meio do Oakley Time Rider Bios.

Oakley Report
O Oakley Report é a versão do Surf Report focada no público brasileiro. Totalmente em português, o aplicativo traz informações sobre as nossas praias, a previsão do tempo para a semana, direção e força do vento, tábua de marés e altura das ondas.

Surfline
Especializado nas previsões do oceano, o Surfline tem um modelo para medir a onda chamado LOLA. Ele também usa o GPS para encontrar o local mais próximo a você, o que é ótimo quando está no meio de uma viagem. Os relatórios são detalhados e, além da altura das ondas e do vento, também apresenta uma descrição do dia e previsões de até dois dias.

teoria das rabetas de pranchas de surf

Aprenda a teoria das rabetas de pranchas de surf

Início de ano, promessas a cumprir e novas perspectivas. 2014 foi o auge do surf brasileiro com o primeiro campeão mundial da elite, e nós sabemos que você quer aprender a dar aquele aéreo que só vê nos vídeos, ou aquela rasgada irada que seu brother completa com maestria. Bom, antes da prática, vem a teoria.

Em uma sequência de posts iremos explicar e exemplificar: tipos de rabetas, decks, o fundo e as bordas de uma prancha de surf, além do outline, rocker (ou envergadura), foil e quilhas ideais para cada tipo de prancha e de surfista. Curtiu a ideia, não é? Então, mãos a obra galera.

Quiksilver Brasil Rabetas Matt Banting Daniel Smorigo WSL

Foto: Daniel Smorigo/WSL

A rabeta nada mais é que a traseira da sua prancha, e existem pelo menos nove tipos diferentes para dar estabilidade e ajudar os surfistas nos movimentos que cada onda pede. Entre as opções mais comuns estão:

Pin: Ideal para as ondas de tamanho e pesadas, mantém a prancha firme e proporciona mais segurança dentro de grandes tubos. Caracteriza curvas longas e muito controle em alta velocidade.

Round Pin: Perfeita para pranchas pequenas e médias, pois possibilita manobras mais limpas e redondas. Geralmente usada por surfistas que buscam diminuir a largura da rabeta de pranchinhas largas, gerando mais estabilidade.

Square: Tem suas pontas mais quebradas, o que a faz perfeita para ondas que quebram verticalmente. Possibilita equilíbrio e mobilidade na parede da onda, mas falha em manobras com muita curva. Dane Reynolds fez com que ela voltasse à cena nos último anos, e só ele sabe o controle necessário para desfrutar com elegância dessa rabeta complicada.

Quiksilver Brasil tipos rabetas 1

Swallow: Funciona para qualquer tipo de prancha e é possível realizar manobras mais ágeis. Desenvolvida para quebrar a linha da manobra mais facilmente e retornar a onda com a mesma facilidade, tendo uma resposta rápida.

Round Swallow: Tem atributos bem semelhantes aos modelos swallow e swallow fish, e dificilmente você distinguirá as três dentro do mar. Proporciona a mesma facilidade em manobras quebradas.

Fish: Também desenvolve-se em qualquer tipo de prancha, só é um pouco mais larga que a Swallow, normalmente usada em modelos biquilhas, largos e pequenos. Igualmente feita para dar agilidade nas manobras e retornos.

Quiksilver Brasil tipos rabetas 2

Squash: Talvez seja esta a mais popular entre os surfistas, permite alta velocidade para finalizar manobras longas e fortes. Adapta-se ao surf de ondas menores, que exige habilidade de se direcionar sem perder a velocidade.

Round Squash: Sem dúvidas a rabeta mais clássica entre surfistas de todas as idades. Assim como a Squash e a Diamond, é a que melhor representa no surf de ondas pequenas e médias. Boa para todos os tipos de pranchas, sofre adaptações básicas dependendo do tamanho da onda desejada.

Diamond: Trata-se praticamente da mesma ideia da Squash, velocidade, manobras longas e pesadas, em ondas de pequeno a médio tamanho. Diferencia pouca coisa na largura, dando mais segurança nas curvas.

Quiksilver Brasil tipos rabetas 3

Agora você já pode dizer que sabe um pouco mais sobre rabetas de pranchas. Para se tornar um expert vai mesmo ter que acompanhar nossos posts específicos na sequência das publicações. A próxima aula online será sobre decks e fundos de pranchas, fica ligado!

Brazil surf spots

Fernando de Noronha: the Brazilian Hawaii | Photo: BlogVejaAVida.blogspot.com

Brazil is the largest country in South America and enjoys a wide range of weather conditions: equatorial, tropical, semiarid, highland tropical, temperate and subtropical.

The hottest part of Brazil is the northeast, where temperatures of more than 38°C (100°F) are frequently recorded during the dry season between May and November. Along the Atlantic coast from Recife to Rio de Janeiro, average temperatures range from 23 to 27°C (73-81°F).

South of Rio the seasons are more defined and the range of temperatures significantly wider, with the annual average falling between 17 and 19°C (63-66°F).

Waves are everywhere. The Brazilian coast has some of the best surf spots in the world. You can catch waves in an empty spot or you can join the incredible local surfers in an urban metropolis. There are more than one million surfers in Brazil, a true surfing super power.

The Southern states of Rio Grande do Sul and Santa Catarina have the best waves for surfing in Brazil.Praia dos Molhes, Ilha dos Lobos, Prainha, Praia da Cal, Guarita, Itapeva, Capão da Canoa,Atlântida Pier, Tramandai and Cidreira are the finest in Rio Grande do Sul.

In the Santa Catarina State, look for Camacho, Cardozo, Cigana, Ferrugem, Guarda do Embau,Itapirubá, Ibiraquera, Laje da Jagua, Morro dos Conventos, Praia da Saudade, Praia da Vila, Praia do Silveira, Rincão and Rosa do Sul.

In Rio de Janeiro, there are great surf spots, though super crowded. Arpoador, Barra da Tijuca,Grumari, Ipanema, Itacoatiara, Leblon, Praia da Macumba, Praínha and São Conrado have more than 250 days of top quality waves for surfing.

Fernando de Noronha, an archipelago of 21 islands and islets in the Atlantic Ocean, also holds one of the best waves of Brazil.

Praia da Pipa a pure tropical surfing paradise

Brazil has one of the most magic waves in the world. The river wave of Pororoca, 13 kilometers inland upstream on the Amazon River, is a natural phenomenon caused by the moon and the tides. You can only ride this tidal bore wave from time to time.

The brown piranha-infested water might scare a bit, but the ride is an eternal life experience. The longest time captured on tape riding the wave is by Brazilian surfer Picuruta: 43 minutes.